quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A salvação é sua, mas lute por ela!

"A salvação é sua, mas você precisa lutar por isso!" Estou colocando entre aspas porque eu não sei quem me disse isso, eu adormeci essa tarde e alguém mandou eu escrever sobre isso! Bem, aqui estou eu! No sonho, eu questionava o homem, perguntando se não era contraditório dizer que se algo fosse meu, por que eu deveria lutar por aquilo? Mas ele só mandava eu escrever sobre isso...acho que ele queria que eu pensasse. E eu decidi fazê-lo!

Quando minha mãe faleceu, ela tinha uma causa na justiça ganha, ela já estava recebendo esse valor e eu precisei transferir, como HERDEIRA LEGÍTIMA, aquele bem para meu nome. Foi um ano e meio de andanças e burocracias, um verdadeiro calvário, principalmente por causa das dificuldades que vinha enfrentando financeiramente na minha casa, eu precisava muito daquele dinheiro. O que mais me angustiava era saber que aquilo era meu direito, mas ao mesmo tempo, era também o que me dava força de correr atrás, de não desistir, porque era meu. Deus sabia exatamente o que estava fazendo, porque Ele me deu na hora certa e na maneira certa e eu pude experimentar aquele direito de forma muito mais plena, se eu tivesse simplesmente recebido de "mão beijada".

Quando lutamos por alguma coisa e alcançamos aquele objetivo, ele tem um sabor diferente de algo que é alcançado sem luta, porque sabemos o valor daquilo, sabemos as noites mal dormidas, sabemos as dores físicas e emocionais, as renúncias, sabemos cada pedra que tivemos que desviar, as injúrias, os pensamentos negativos das pessoas ao nosso redor; tudo isso faz com que ao contemplarmos a vitória, o sentimento interior seja muito maior que simplesmente eu venci, mas seja de "eu me venci"!



Cristo no deu a salvação uma vez por todas na cruz, isso é fato. Fomos remidos pelo seu sangue, sua morte nos libertou da morte e sua ressurreição nos deu a vida eterna, mas é preciso mais, é preciso nossa ação direta nesse mistério de salvação. Eu preciso fazer valer o sacrífico que Cristo fez por mim, foi o sangue de Deus derramado no madeiro da cruz, não dá para ser um mero espectador! Eu preciso carregar comigo esse mistério por onde quer que eu vá, mostrar a todos que estão à minha volta que eu creio firmemente que Jesus Cristo é o meu Senhor e meu Salvador e como eu mostro isso? com minhas atitudes, claro! Se eu quero seguir a Cristo, que eu seja como Ele: amar como Jesus amou, sonhar como Jesus sonhou, pensar como Jesus pensou, já dizia Padre Zezinho! Fácil não é, eu sei, mas é preciso se esforçar, é preciso todos os dias colocar nossas forças direcionadas nesse propósito, porque se assim o fizermos, não somente quando chegar ao fim do dia, mas quando chegar ao fim de nossas vidas, perceberemos que o esforço em merecer a salvação terá valido a pena e seremos muito mais felizes do que já somos aqui! 

A salvação é sua, meu irmão, você já a tem. Não a perca por tão pouco, lute, persevere, sonhe, viva a vida que Deus quer para você. Busque o alto!

Deus abençoe!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Não matarás!

Quando nos deparamos com este mandamento, imediatamente pensamos no ato de ceifar a vida de alguém e de fato, a princípio ele se tratava disto mesmo, pois na época em que Moisés recebeu as Leis de Deus no Monte Sinai era um momento histórico onde as guerras entre tribos eram comuns e a morte uma prática corriqueira entre os povos, todavia, hodiernamente somos regidos por leis universais, declarações civis e penais e até mesmo um senso comum que dizem que matar não é legal (literalmente) e portanto aquele que o faz precisa ser punido por isso, ou seja, não é necessário um mandamento religioso para nos estabelecer essa verdade.

Gostaria, entretanto, de considerar outra perspectiva sob este quinto mandamento que Deus nos deixou! Quando vamos estudar no Catecismo da Igreja Católica os mandamentos, na fórmula da catequese está escrito assim: 5: Não matar (nem causar dano,  no corpo ou na alma, a si mesmo ou ao próximo)! Isso dá muito pano pra manga, porque envolve aí muitas questões como aborto, eutanásia, pesquisas embrionárias etc., mas o que eu quero falar mesmo é esse ponto, NA ALMA, não causar dano na ALMA!

Penso que matamos muitas pessoas no decorrer de nossas vidas e também já fomos mortos por algumas pessoas mesmo continuando vivendo. Quantas e quantas vezes fomos causadores ou vítimas de fofocas e mentiras nessa vida? Quantas vezes preferimos a morte à vida? A todo momento somos colocados à prova, somos tentados a disseminar palavras que geram morte, dor, mas também podemos escolher, porque em nós está o Espírito de Deus, ser instrumentos de paz!

Ouvimos "histórias" por aí, não sabemos se é verdade, mas já sentamos na cadeira de julgador e determinamos a pena daquela pessoa. Não tratamos com misericórdia e pior, espalhamos a "história" por aí como se verdade fosse, com provas e testemunho ocular! Na verdade, quem tá vendo é Deus! 



Quero confessar aqui o meu pecado, já fui de ouvir muitas histórias e até de contar coisas da vida alheia, nada muito sério, nada que fosse prejudicar a vida de alguém, mas essa semana me deparei com uma história muito triste e me arrependi profundamente dessa minha postura de vida e percebi que não vale a pena e foi na verdade um grande contra-testemunho! Se eu digo que tenho Deus no meu coração, minha boca deve proclamar isso, minha língua deve falar somente coisas boas, deve somente gerar vida e não morte (A boca fala daquilo que o coração tá cheio - Mt 12, 34). Como posso dá testemunho do amor de Deus, das maravilhas que Ele realiza em mim se eu vivo perdendo tempo falando do outros? Além do mais quando eu falo demais da vida do outro, deve ser porque a minha própria vida está desinteressante né? Acho que merece uma avaliação! Só acho...

Precisamos ter muito cuidado com a forma que acolhemos as pessoas, porque podemos estar matando muitas pessoas por aí sem perceber. Tirar o brilho no olhar, fazê-las chorar, tirar as esperanças de alguém, tudo isso é tirar a vida, é matar! Precisamos amar mais, acolher mais, perdoar mais, ouvir mais, julgar menos, excluir menos, murmurar menos! Jesus que conhecia o coração de todos que se aproximava dele não excluía ninguém, quem somos nós para dizer que somos melhores que alguém? VAMOS TIRAR A TRAVE DOS NOSSOS OLHOS! E amar, amar, amar...até morrer de amor, como dizia Santa Teresinha do menino Jesus. E como os santos são melhores que eu nas palavras me despeço com a frase da beata Madre Teresa de Calcutá: QUEM JULGA AS PESSOAS, NÃO TEM TEMPO PARA AMÁ-LAS! #Ficaadica

Deus nos abençoe e Nossa Senhora interceda por nós e que aprendamos com ela sua humildade!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

A verdade vos libertará!

"Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (Jo 8, 32)

Acredito que uma das coisas mais difíceis de se alcançar de fato é a liberdade, porque a liberdade mesmo é um bem muito delicado, muito sutil e muito árduo de se conviver! Exige de nós muita força de vontade, muito esforço, exige de nós uma intimidade com Deus e uma confiança plena no Seu Amor por nós. Conheço pouquíssimas pessoas de fato livres, porque sempre existe pelo menos alguma coisa, algum ponto de nossa vida que nos prende. Mas não podemos desistir, precisamos lutar por ela todos os dias, porque foi para liberdade que Cristo nos libertou (Cf. Gl 5, 1)

Posso partilhar com vocês muitas coisas da minha vida que me fizeram perceber o quanto eu não sou livre, mas hoje só quero dizer uma. Eu amo praia! Gosto do sol, do mar, da areia, água de coco, pele bronzeada, gosto de chegar em casa "enfadada" do sol (como diz minha avó), mas eu não vou à praia! Nos últimos 4 anos de minha vida devo ter ido 3 ou 4 vezes por um simples motivo: tenho vergonha do meu corpo! Eu sei, eu sei, é um absurdo, mas eu não sou livre! Pronto, assumi! Sou vítima de mim mesma, do padrão de beleza imposto pela sociedade atual, dos olhares de reprovação que EU imagino receber, da comparação que vou fazer com minhas amigas. 



Talvez você pense: o que isso tem a ver com Deus? Meu irmão, TUDO! Porque eu não devia me importar tanto assim com o que os outros vão pensar ou com o meu exterior, porque "o homem vale aquilo que é diante de Deus e nada mais" já dizia São Francisco de Assis, eu devia ter consciência que Deus me deu vida e vida em abundância e eu preciso fazer aquilo que me faz bem, me faz feliz, porque é isso que Ele quer pra mim, mas eu rejeito isso porque eu não sou livre! Me falta liberdade interior. Eu poderia citar mil coisas que eu não faço, não digo, porque tenho medo de reprovação, de errar, de me decepcionar...

E quantas coisas você deixou de fazer na sua vida por falta de liberdade interior? Quantos sonhos deixados para trás, quantos momentos de prazer, de alegria suprimidos, porque você estava mais preocupado com os olhares humanos que o olhar de Deus feliz por você? Não podemos permitir que o sacrifício de Cristo, que todas as Suas palavras de liberdade sejam em vão, precisamos tomar posse delas em nossas vidas, mesmo que seja difícil coloca-las em prática, eu sei que é, mas não podemos desistir. Todos os dias devemos acordar com a certeza que somos amados, que Deus tem o melhor para nós; devemos olhar para a Cruz e pensar que esse Amor me deu a liberdade e a vida plena! Cristo é a VERDADE que liberta, conhece-Lo, se aprofundar no seu Amor é a certeza da liberdade! Busquemos Deus, sejamos livres! Livres para amar, para viver, para ser feliz!

sábado, 17 de agosto de 2013

E quem perseverar até o fim, será salvo! (Mt 24, 12)

Por vezes fico questionando meus sentimentos em relação à Igreja, a Cristo, ao meu serviço e me pergunto: porque eu ainda continuo? Se eu fosse avaliar tudo de forma humana, poderia ter desistido! Me decepcionei com muitas pessoas, sacerdotes, me frustrei comigo mesma, com minha fraqueza e até mesmo com Deus, aliás, quem nunca se desapontou com Deus?

Pois é, meu amigo, mas se como eu, mesmo diante de tudo isso, você ainda permanece, parabéns, o centro de tudo foi encontrado, o principal, o essencial: CRISTO!

Mesmo quando me senti completamente arrasada diante das situações, percebia que fora d'Ele existia apenas um vácuo. Sim, porque aquela dor que eu sentia era um dor preenchida por vários sentimentos: saudades, dor, medo, angustia, sentimentos humanos porque EU SOU HUMANA e não posso fugir dessa minha natureza, mas no momento que eu me imaginava passar por aquilo longe de Deus, longe do meu Senhor, o que eu sentia era apenas o NADA, a mais completa solidão! 

Confesso que sinto falta, muitas vezes, de quando eu "sentia" coisas. Há um tempo, eu me emocionava, eu me arrepiava, eu era bem mais sensível; hoje percebo que minha experiência é muito mais prática, sem esquecer a mística, claro, mas se eu puder escolher, prefiro assim, porque eu tenho certeza que eu estou aqui, porque eu SEI que devo estar, independente do que eu sinto, pois não se trata de emoções. Se Ele me conceder a graça de sentir tudo aquilo de novo, serei muito grata, mas eu continuo aqui...



O segredo é não tirar os olhos da Cruz e do crucificado, porque as pessoas vão nos decepcionar, vamos cair, nem sempre as coisas vão acontecer como esperamos, nem sempre os milagres vão acontecer, algumas vezes dores grandes vão aparecer, mas enquanto você manter os olhos fixos no Teu Senhor, também irás permanecer firme e "aquele que perseverar até o fim, será salvo" (Mt 24, 12).

Deus abençoe 

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Somos o CAMPO DA FÉ!

Inspirada pelo discurso do Papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude, na vigília do sábado, fiquei pensando em suas palavras quando ele nos chama de "campus fidei". 

"Penso que podemos aprender algo daquilo que sucedeu nestes dias: por causa do mau tempo, tivemos que suspender a realização desta vigília no "Campus Fidei", em Guaratiba. Não quererá porventura o Senhor dizer-nos que o verdadeiro "Campus Fidei", o verdadeiro Campo da Fé não é um lugar geográfico, mas somos nós mesmos? Sim, é verdade! Cada um de nós, cada um de vocês, eu, todos. E ser discípulo missionário significa saber que somos o Campo da Fé de Deus." (Papa Francisco)

Questiono-me como tenho cuidado deste campo que Deus me deu; será que o tenho tornado fértil, será que tenho treinado o bastante, será que tenho construído alicerces sólidos? Cada dia que passa, noto que preciso mais: me converter mais, amar mais, ter mais intimidade com Deus, rezar mais... se não for assim, não tenho como tornar meu campo fértil, meu treino será pouco, meus alicerces serão fracos. 

O Deus que eu digo acreditar é presente em minha vida, se fez homem e morreu por mim, se faz "pedaço de pão" para estar em comunhão comigo. É muito amor e eu preciso de alguma forma fazer a minha parte, preciso responder a este amor, porque se não for assim, não serei feliz! (Cf CIC §27) 



Quando eu escuto a Palavra de Deus mas não permito que ela seja fecunda em mim, não estou cuidando de meu campo; quando não me disciplino na busca do Reino dos Céus, esse campo não está sendo um lugar de treino; quando sou apenas um telespectador da história, essa campo não é de construção. Amigos, nosso querido Papa Francisco, nos exorta a sermos corajosos, a enfrentarmos nossos medos, nossas limitações e não sermos cristãos de fachadas, mas autênticos. Ouçamos esses conselhos e busquemos ser esse CAMPO DA FÉ!

Termino com mais um trecho do discurso dessa noite:

"Queridos amigos, não esqueçam: vocês são o Campo da Fé! Vocês são os atletas de Cristo! Vocês são os construtores de uma Igreja mais bela e de um mundo melhor. Elevemos o olhar para Nossa Senhora. Ela nos ajuda a seguir Jesus, nos dá o exemplo com o seu "sim" a Deus: Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra (Lc 1, 38). Também nós o dizemos a Deus, juntos com Maria: faça-se em segundo a tua Palavra. Assim seja!"

Deus abençoe a todos!

P.S. Neste LINK tem todos os discursos do Papa Francisco na JMJ do Rio de janeiro. Vale a pena ler! 

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Vigília e Missa de envio - Jornada Mundial da Juventude - Rio de Janeiro

Infelizmente, sobre a sexta não tenho quase nada, pois meu telefone descarregou e não tiramos fotos; não vimos nada da via sacra porque uma das meninas que estava conosco passou mal por causa da quantidade de pessoas onde estávamos e saímos de lá pra que ela pudesse respirar melhor. Depois pudemos acompanhar pelos telões, mas voltamos cedo para casa, porque estávamos muito cansados mesmo. Neste dia também visitei uma exposição sobre Madre Teresa de Calcutá, que mulher maravilhosa! Seu exemplo me emociona bastante, cada vez que ouço/vejo sua história, analiso a minha e penso o que estou fazendo de diferente neste mundo!

Já no dia da vigília, temos muitas histórias pra contar. De manhã logo cedo começamos a nos organizar; como o local foi mudado para Copacabana, muitas coisas que íamos levar, deixamos em casa mesmo, já que tínhamos a liberdade de vir em casa a hora que precisássemos (bem, pensávamos assim!). O local de entrega dos kits para a vigília era um pouco distante de nossa casa e ficamos sabemos que a fila estava enorme, então preferimos levar o que tínhamos em casa mesmo e partimos direto para Copacabana; andamos um pouco e encontramos um local bom, perto de um telão e perto de uma saída, delimitamos nosso lote e acampamos por ali! Pouco tempo depois, chegou outro grupo de amigos e ficamos por ali, conversando com os outros grupos acampados perto de nós! 













E a cada hora que passava, a praia enchia mais e mais. E enquanto esperávamos, aconteciam shows, ensaiávamos o MAIOR FLASH MOB DO MUNDO, fazíamos uma "farofa" na areia. Sinceramente, um clima maravilhoso, que eu não vivi em Madri porque chegamos muito tarde à vigília e peguei "somente" a Adoração. 

Mais uma vez, PONTUALMENTE, o Papa Francisco chega a Copacabana e começa-se a Adoração. Mais um momento EMOCIONANTE. Estava longe fisicamente do Santíssimo, mas Sua presença viva, real supera essa distância, podia senti-Lo. Antes da Adoração em si, ouvimos os testemunhos de alguns jovens, testemunhos não muito diferentes dos meus amigos ou do meu mesmo, jovens que enfrentam as mesmas dificuldades, mas que buscam o mesmo Amor. A Adoração foi muito linda e as palavras do Papa foram fortes também, mais uma vez mexeram comigo! Depois recebemos a benção do Santíssimo.

"Queridos jovens, o Senhor precisa de vocês! Ele também hoje chama a cada um de vocês para segui-lo na sua Igreja e ser missionário. Hoje, queridos jovens, o Senhor lhes chama! Não em magote, mas um a um... a cada um. Escutem no coração aquilo que lhes diz. Penso que podemos aprender algo daquilo que sucedeu nestes dias: por causa do mau tempo, tivemos que suspender a realização desta Vigília no "Campus Fide" em Guaratiba. Não quererá porventura o Senhor dizer-nos que o verdadeiro "Campus Fide", o verdadeiro Campo da Fé não é um lugar geográfico, mas somos nós mesmos? Sim, é verdade! Cada um de nós, cada um de vocês, eu todos. E ser discípulo missionário significa saber que somos o Campo da Fé de Deus." (trecho do Discurso do Papa Francisco).

A noite então foi longa. Ficamos conversando, fomos em casa, mas o cansaço nos venceu. 





O dia foi amanhecendo e o sol acordando os peregrinos. Aos poucos fomos nos organizando para a Missa de envio, para o momento mais importante de toda a jornada, o momento de voltarmos para nossas casas e fazer acontecer nas nossas vidas o pedido de Francisco: Ir e fazer discípulos entre todas as nações. A Missa foi maravilhosa, mais uma vez a  feliz sensação de fazer parte desta Igreja UNA, que celebra de forma tão bonita a SANTA MISSA! No fim, foi anunciada a próxima JMJ, que será na Cracóvia, Polônia, terra de João Paulo II, em 2016. Já me sinto lá! E então nada mais restou do que juntarmos nossas coisas e voltarmos para casa, mas voltarmos com a certeza que não somos mais os mesmos, com o espírito renovado e a certeza que precisamos fazer mais, precisamos amar mais, precisamos EVANGELIZAR. Precisamos ser e fazer discípulos onde quer que estejamos! 












Sim, Francisco, estou pronta para seguir teu exemplo de amor a Cristo, ao próximo, à Igreja. Obrigada por tanto amor e por sua simplicidade, obrigada por seu sorriso, obrigada, obrigada! Vamos rezar por você sim, mas por favor, reze por nós! E até a Cracóvia, em 2016! Valeu, Rio! Essa JMJ foi demais! Até a próxima!

4º dia - Jornada Mundial da Juventude - Rio de Janeiro

Pessoal, desculpem a ausência, mas realmente foi uma Jornada muito intensa e não deu pra atualizar nada por aqui, mas se ainda interessa saber alguma coisa, eis-me aqui!

Na quinta-feira foi o dia da recepção oficial ao Papa Francisco no Rio. De manhã, fomos à catequese e fomos almoçar e só depois é que fomos para as areias de Copacabana, resultado: ESTAVA TUDO LOTADÍSSIMO! Nossa sorte é que uns amigos já estavam na praia há um tempo e fomos para onde eles estavam. O clima ainda estava fechado, muito frio, chuva, vento, mas a animação era total, pessoas cantando, conversando, empolgadas com a chegada iminente de nosso "Chiquinho" amado! Como em Madri, a espera foi longa...








Estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas estavam à espera do Papa neste dia, ou seja, ERA GENTE DEMAIS! Finalmente, depois de algumas horas, no meu caso 7 horas, pontualmente o Papa Francisco desfila com seu Papa Móvel a caminho do palco montado na praia. Neste percurso, ele para, beija as crianças, troca o solidéu com o povo, acena, SORRI, é simplesmente encantador. Nós o víamos somente pelo telão, mas cada gesto dele me encantava, não sei definir bem o que ele me transmitia, eu só conseguia SORRIR!




Depois de alguns minutos, enfim ele chega ao palco e então começa a cerimônia de acolhida. Todavia, minha ansiedade maior era ouvir de perto sua voz, não via a hora dele falar e ao primeiro som que saiu de sua boca, lágrimas saíram de meus olhos, que emoção ouvi-lo, mais uma vez eu digo: não dá pra explicar o que foi aquilo. Em Madri confesso que me emocionei pouco, foi uma experiência mais humana, mas no Rio, estava sendo muito espiritual. Me identifiquei completamente com sua maneira de discursar, afinal, ele é jesuíta e um catequista por excelência, o que nos une mais ainda. Era empolgante vê-lo se empolgar, quando ele subia a voz e acabava misturando português com espanhol, tamanha era sua paixão. Ah! Francisco LINDO! E eu só me perguntava: será que é anti-litúrgico apertar as bochechas dele?

"Mas o que podemos fazer? Bote fé. A Cruz da Jornada Mundial da Juventude peregrinou pelo Brasil inteiro com este apelo: BOTE FÉ. O que significa? Quando se prepara um bom prato e vê que falta sal, você então bota o sal; falta o azeite, então bota o azeite...Botar, ou seja, colocar, derramar. É assim também na nossa vida, queridos jovens, se queremos que ela tenha realmente sentido e plenitude, como vocês mesmos desejam e merecem, digo a cada um e cada uma de você: bote fé e a vida terá um sabor novo, terá uma bússola que indica a direção; bote esperança e todos os dias serão iluminados e o seu horizonte já não será escuro, mas luminoso; bote amor e sua existência será como uma casa constuída sobre a rocha, o seu caminho será alegre, porque encontrará muitos amigos que caminham com você. Bote fé, bote esperança, bote amor! (...) Por isso, hoje, lhe digo com força: bote Cristo na sua vida, e você encontrará um amigo em quem sempre confiar; bote Cristo, e você cerá crescer as asas da esperanças para percorrer com alegria o caminho do futuro; bote Cristo e a sua vida ficará cheia do seu amor, será uma vida fecunda. Porque todos queremos ter uma vida fecunda" (Trecho do discurso do Papa Francisco)

Terminada a cerimônia, fomos para casa e esperamos as ruas acalmarem para poder sair pra comer, mas mesmo 2 duas horas depois, ainda haviam muitos peregrinos cantando, animados e cheios de vida pelas ruas cariocas e não teve jeito, tivemos que enfrentar fila pra poder comer. Mas valeu a pena...aliás, tudo valeu a pena!



Vamos lá, juventude, coloquemos fé, esperança e amor. Coloquemos Cristo em nossas vidas! Amém!